Cirurgias

Mamoplastia

É indicada para melhorar o aspecto estético das mamas pequenas (hipomastias) ou que apresentem um tamanho menor do que o desejado pela paciente dentro dos limites estéticos.

As mamas terão seu volume aumentado através da cirurgia, melhorando sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Assim é que, neste caso, pode-se escolher o novo volume, pois se dispõe de vários tamanhos de próteses de silicone a serem utilizadas. Deverão ser mantidas as proporções entre o volume da nova mama e o tamanho do tórax de cada paciente, a fim de se obter uma maior harmonia estética.

Nos casos em que houver excesso de flacidez associada, faz-se um levantamento das mamas (mastopexia) no mesmo ato cirúrgico, levando uma maior firmeza ao aumento. Também está indicada nos casos de assimetrias mamárias congênitas em que uma das mamas é muito pequena, uniformizando mamas assimétricas.

Recomendações | Pré-Operatório

1) Comunicar-se conosco até a véspera da operação, em caso de gripe, indisposição ou antecipação do período menstrual.

2) Internar-se no hospital ou clínica indicada na Guia de Internação, obedecendo ao horário estabelecido.

3) Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito lautas na véspera da cirurgia.

4) Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, que eventualmente esteja utilizando, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico. Isto inclui também certos diuréticos.

5) Programe suas atividades sociais, domésticas, profissionais ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 4 dias.

Recomendações | Pós-Operatório

1) Evitar esforços nos 8 primeiros dias.

2) Não movimentar os braços em excesso. Obedeça às instruções à movimentação dos membros superiores ou massagens.

3) Evite molhar o curativo, até que seja autorizada a fazê-lo.

4) Não se exponha ao sol ou friagem, até 2ª ordem.

5) Alimentação normal, a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas e vitaminas.

6) Voltar ao consultório para curativos subseqüentes, nos dias e horários estipulados.

7) Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire com seu cirurgião plástico, as suas eventuais dúvidas.

Lipoaspiração

REMOVE GORDURA DO CORPO

Também conhecida como lipoescultura, a lipoaspiração remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de depósitos de gordura, melhorando os contornos do corpo e a proporção.

Apesar de boa saúde e da prática de exercício físico, algumas pessoas podem, ainda, ter um corpo com contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada. Estas áreas podem ocorrer devido a características genéticas, à falta de controle do peso ou de atividade física. A lipoaspiração pode ser usada para tratar acúmulos de gordura em várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, cintura, costas, parte medial do joelho, peito, pernas e tornozelos. Em alguns casos, a lipoaspiração é realizada isoladamente, em demais casos, ela é usada com procedimentos de cirurgia plástica tais como o facelift, a redução de mama ou a abdominoplastia.

Dermolipectomia Abdominal

CIRURGIA PLÁSTICA ABDOMINAL

A Dermolipectomia corrige o excesso de gordura e pele localizados na região abdominal, essa cirurgia pode ser feita tanto para remodelagem abdominal quanto para correção. Na retirada da pele e gordura poderá haver uma redução de peso corporal, que varia de acordo com o volume retirado.

Recomendações | Pré-Operatório

1) Comunicar-se com seu médico até 2 dias antes da cirurgia, em caso de gripe, período menstrual, indisposição, etc.

2) Internar-se no hospital indicado na guia, obedecendo ao horário de internação.

3) Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito lautas, na véspera da cirurgia.

4) Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, que eventualmente esteja fazendo uso, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico. Isto inclui também certos diuréticos.

5) Programar suas atividades sociais, domésticas ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 2 a 3 semanas.

Recomendações | Pós-Operatório

1) Evitar esforços por 14 dias.

2) Levantar-se tantas vezes quanto lhe for recomendado por ocasião da alta hospitalar, obedecendo aos períodos de permanência sentada, assim como evitar ao máximo escadas longas.

3) Evitar molhar o curativo durante a primeira fase.

4) Não se exponha ao sol ou friagem, por um período mínimo de 2 semanas.

5) Andar curvada, com ligeira flexão do tronco, e manter passos curtos, por um período de 14 a 20 dias.

6) Obedecer à prescrição médica.

7) Voltar ao consultório para os curativos subseqüentes, nos dias e horários estipulados.

8) Provavelmente você estará se sentindo tão bem, a ponto de olvidar-se que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levá-la a um esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos.

9) Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire com seu cirurgião, e somente com ele, quaisquer dúvidas.

10) Em caso de pacientes muito obesas, poderá ocorrer, após o 8o. dia, a eliminação de certa quantidade de líquido amarelado ou sanguinolento, por um ou mais pontos de cicatriz. Não se preocupe, porque se isto lhe ocorrer não significa complicação.

11) Salvo em casos especiais, alimentação livre, a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas e vitaminas.

12) Aguarde para fazer sua “dieta ou regime de emagrecimento”, após a liberação médica. A antecipação desta conduta por conta própria, poderá determinar conseqüências difíceis a serem sanadas.

Blefaroplastia

CIRURGIA ESTÉTICA DE PÁLPEBRAS

Fatores como idade, textura da pele, distúrbios da acuidade visual, problemas emocionais, etc, poderão deixar como conseqüência sua marca no território das pálpebras. Assim é que, quando V. é examinado (a) pelo cirurgião plástico, este estará fazendo uma análise profunda, para intervir somente naqueles setores que possam se beneficiar com a cirurgia.

Muitas vezes o problema das pálpebras ocorre devido a fatores clínicos, não estando indicada qualquer cirurgia (olheiras, edemas, etc). Outras vezes, os problemas clínicos estão associados ao cirúrgico e, mesmo que se opere devidamente as pálpebras, ainda assim persistirá um percentual do defeito original, decorrente do distúrbio clínico associado.

A cirurgia plástica das pálpebras corrige apenas o excesso de pele gordura e flacidez muscular do território palpebral, podendo, em certos casos, melhorar o aspecto funcional além do estético. Não deverá, entretanto acarretar qualquer prejuízo para o lado da função das pálpebras, desde que a evolução pós operatória seja normal.

Tumores Cutâneos

TUMORES BENIGNOS

Há descrito um grande número de lesões benignas da pele. Da mesma forma, o tipo de tratamento indicado depende do tipo de lesão, bem como de sua localização e tamanho. Cauterização, crioterapia, uso de medicamentos tópicos e a ressecção cirúrgica encontram-se entre as principais modalidades de tratamento destas lesões. As principais indicações de tratamento destes tumores são desconforto local, insatisfação estética e risco de transformação em tumor maligno.

As lesões benignas mais frequentes são:

  • Nevo
  • Verruga vulgar
  • Lipoma
  • Ceratose seborréica
  • Acrocódon
  • Ceratose actínica
  • Cisto epidérmico (cisto sebáceo)

Tumores Malignos

Os tumores malignos da pele são divididos em melanomas e não-melanomas.

Os tumores malignos não-melanoma mais comuns da pele são o carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular (epidermóide). O principal fator de risco para estes tumores é a exposição aos raios ultravioletas, sendo mais comuns, portanto, nas regiões do corpo expostas ao sol (face, tronco superior e membros). As pessoas de pele clara apresentam risco significativamente maior de desenvolver estas lesões.

A forma mais frequente do carcinoma basocelular é uma lesão elevada, com bordas peroladas e com pequenos vasos (telangiectasias), podendo ou não ser ulcerado. A ressecção com margens adequadas ao tamanho e à localização do tumor constitui o tratamento de escolha. Os carcinomas basocelulares muito raramente disseminam-se para linfonodos (“ínguas”) ou para outras partes do corpo, porém podem causar grande destruição local ao longo do tempo se não tratados de forma adequada.

O carcinoma espinocelular costuma apresentar-se como um mancha ou um úlcera (ferida). Seu tratamento também inclui ressecção com margens adequadas. Em comparação ao carcinoma basolcelular, há maior risco de comprometimento de linfonodos e de disseminação a outras regiões. Localmente, o carcinoma espinocelular também é mais agressivo que o carcinoma basocelular.

O melanoma é um tumor maligno com origem nas células responsáveis pela pigmentação da pele (melanócitos). O principal fator de risco para o seu desenvolvimento é a exposição aos raios ultravioletas do sol. Queimaduras solares intensas e esporádicas na época de infância aumentam o risco de desenvolvimento de melanomas na idade adulta. Pessoas de pele clara também possuem maior risco de melanoma, embora este tumor também possa acometer pessoas de cor negra. Outros fatores de risco são grande número de nevos pigmentados, xeroderma pigmentoso (doença genética) e imunossupressão. O melanoma é o tumor mais agressivo e de pior prognóstico da pele. Dissemina-se facilmente para os linfonodos regionais e para órgãos como pulmão, fígado e cérebro. O tratamento do melanoma é sempre cirúrgico. E a melhor abordagem é o tratamento precoce. Assim, a maior atenção deve se voltar à avaliação de lesões pigmentadas (escuras) com as seguintes características:

Assimetria: Lesões assimétricas

Cores diversas: Mais de 1 coloração na mesma lesão

Evolução da lesão: Crescimento, mudança de coloração

Bordas irregulares

Diâmetro: > 6 mm

A dermatoscopia (exame das lesões com auxílio de lupa por profissional habilitado) pode ajudar a definir as características acima.

O tratamento com cauterização ou crioterapia nunca deve ser indicado na suspeita de um melanoma. A terapêutica inicia com a retirada completa da lesão com margens exíguas (mínimas). Após avaliação histopatológica, define-se o tipo de lesão. A espessura do melanoma na pele (escala de Breslow) define a necessidade de complementação do tratamento, que pode incluir ampliação das margens e pesquisa de linfonodos regionais.

No passado, a retirada de linfonodos era indicada em um grande número de pacientes com melanoma. Isso aumentava a agressividade do tratamento e a incidência de seqüelas (infecções, cicatrizes, inchaço de membros e outros). O desenvolvimento da técnica de pesquisa do linfonodo sentinela revolucionou o tratamento do melanoma, pois permitiu a identificação dos pacientes que realmente se beneficiam da retirada dos linfonodos regionais. Nesta técnica, é identificado o primeiro linfonodo que recebe a drenagem da região do tumor com auxílio de um corante e de um marcador radioativo. Este linfonodo é retirado e enviado para avaliação detalhada pelo patologista. Apenas se este linfonodo estiver invadido pelo melanoma, está indicada a remoção de todo o grupo de linfonodos que drenam a região do tumor.

Otoplastia

CIRURGIA ESTÉTICA DE ORELHAS

Otoplastia Estética: a orelha é uma das partes do corpo humano que poderá trazer o estigma familiar: “O filho tem a orelha do pai!”. Muitas vezes a orelha em abano, é encontrada em vários membros da família e constitui uma identificação negativa, principalmente pelo fato de gerar caçoadas na infância, trazendo como consequência marcas profundas no comportamento da criança.

Assim é que existe uma idade ideal para se fazer a cirurgia de correção do abano: 5 a 7 anos, período em que a orelha já está totalmente formada e quase igual ao tamanho daquela do adulto. Além do mais, por se tratar de um período pré-escolar, nessa fase começam os problemas de ordem psicológica.

Recomendações | Pré-Operatório

1) Comunicar-se com o seu médico até a véspera da cirurgia, em caso de gripe, infecções, etc.

2) Obedecer ao horário estabelecido para internação.

3) Manter-se em jejum por um período de 8 a 12 horas antes.

4) Lavar os cabelos na vésperas.

5) Se V. tiver cabelos compridos, não deverão ser cortados e sim mantidos até um período após à cirurgia. Isto ajuda a disfarçar o curativo, nos primeiros dias.

Recomendações | Pós-Operatório

1) Evitar sol, friagem, vento e traumatismos locais por um período de 10 dias.

2) Comparecer ao consultório para controle pós-operatório

3) Obedecer à prescrição médica.

4) Poderá retornar às atividades escolares, profissionais, etc 4 a 5 dias após a cirurgia.

5) Alimentação livre, a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas ( carnes, leite, ovos ) e vitaminas (frutas).

Ritidoplastia

CIRURGIA ESTÉTICA DE FACE

É a cirurgia plástica de rejuvenescimento facial. Quando olhamos para um rosto podemos ver nitidamente os sinais de envelhecimento e que dificilmente podem ser escondidos, como rugas de expressão, marcas sulcadas de dobras constantes da pele, quedas e sobras de pele formando sulcos e excessos de gordura/pele formando papadas e bolsas.

Através desta cirurgia, pode-se atuar em diversos segmentos da face como elevar o canto externo da sobrancelha, suspender a região das bochechas, esticar a pele do pescoço, diminuindo as papadas e duplo queixo, reduzir os sulcos ao lado da boca e em torno dos lábios. Enfim, levanta-se a pele erguendo o visual da face como um todo, de maneira harmoniosa para deixar a face naturalmente mais jovem, com aparência saudável e descansada.